Magento 2 Project - imagem:magentocommerce.comComo eu prometi, já que não deu tempo de atender a todas as perguntas que o pessoal fez pelo chat, direto no LiveStream, na palestra “Vendendo mais com Magento Commerce” da última quarta-feira, eis aqui as perguntas e respostas! Infelizmente não me passaram os nomes de quem fez as perguntas…

1) Quais são as melhores opções de hospedagem para Magento no Brasil?

É extremamente complicado falar de hospedagens para Magento no Brasil e eu sinceramente não faço recomendações de provedores A ou B. Posso dar algumas dicas de como escolher um provedor: se sua loja for pequena, até mesmo um compartilhado atende à demanda. O problema é quando o provedor sobrecarrega o servidor de sites compartilhado, colocando mil ou dois mil clientes no mesmo espaço (apesar de informar que o limite é 500 clientes). Então, se você estiver em um compartilhado, fique atento a como sua loja vem respondendo, se demora muito pra carregar, se enfrenta erros com frequência. Se começar a engasgar, mude de serviço e vá para outro provedor.

Se sua loja já tiver um pouco mais de movimento, vale a pena investir em planos melhores, como uma VPS, em que você tem controle sobre a sua “fração” no servidor. Nessa modalidade também é relativamente fácil acrescentar recursos e ampliar o seu espaço, acompanhando o crescimento da sua loja. Há também uma variação: os planos de cloud computing,  onde você adquire recursos e paga à medida que utilizar mais.

2) Você falou que o Ebay/PayPal quer criar um novo projeto de e-commerce. Isso significa que o Magento será descontinuado?

O eBay já trabalha em um novo projeto chamado Open X.Commerce, mas ele não substitui o Magento, pelo contrário. O Magento será a base desse novo software e um de seus complementos, já que o Magento continuará voltado para a operação de lojas virtuais – nas mais diferentes empresas – enquanto o Open X.Commerce será um centralizador, integrado ao eBay. De um modo simples, o eBay quer deixar de ser apenas um “mercadão” – como é o nosso Mercado Livre – e atrair grandes empresas para dentro de sua estrutura.

Então, não, o Magento não será descontinuado, pelo contrário, ele ganha mais forças, já que o eBay tem total interesse em que o software seja forte. A versão 2 do Magento já está em desenvolvimento e deve ser lançada no primeiro semestre do ano que vem.

3) Qual o melhor site para baixar módulos (além do mais em conta)?

Dentro da estrutura do Magento há um serviço chamado Magento Connect, uma grande coleção de módulos para Magento, feitos por diversas empresas e profissionais ao redor do mundo e que podem ser instalados de um modo fácil, direto pelo painel de controle do software. No Magento Connect há módulos gratuitos e módulos pagos, nos mais diversos valores. Lá é o melhor lugar para encontrar módulos, mas há outras empresas conhecidas por seus módulos como a AheadWorks e a Mageworks, além de no Brasil, a Cerebrum.

Em relação a valores, há os gratuitos e os pagos, como disse. Tem coisas que os módulos gratuitos atendem muito bem; em outras só há módulos pagos. Tudo se resume a uma questão de custo e benefício. Se você conseguirá rentabilizar sua loja com um módulo pago, basta ver se o valor cobrado por ele é adequado.

4) Vale a pena esperar um novo produto ou podemos investir na aprendizagem do Magento?

Não é preciso esperar por um novo produto, pois o Magento continuará na ativa e ficará ainda melhor na versão 2. Mesmo que ele seja descontinuado ou acabe amanhã, acredite nessa afirmação: “profissionais Magento são diferenciados e têm habilidades que permitem que eles estejam na dianteira quando forem trabalhar com outros softwares”. Comece a estudar hoje, porque o mercado precisa de pessoas capacitadas para ontem.

5) É muito complexo migrar uma loja em operação do Magento 1.5 para a versão 1.6? Quais as vantagens?

Nenhuma migração no Magento é complexa se a loja seguir as boas práticas de construção. Por boas práticas leia-se não modificar o core, não mexer no tema padrão, instalar os módulos nas pastas corretas, não codificar módulos que conversem direto com o DB nem faça integrações por fora da API.

Se você seguir essas regras (e outras), as atualizações são indolores. É claro que nunca se faz uma atualização diretamente em um ambiente de produção e muito menos sem ter um backup completo e funcional, para uma reversão imediata em caso de falhas. Testar os módulos de terceiros também é fundamental, para garantir que eles não deixem de funcionar após a atualização. Testou tudo no ambiente de testes? Funcionou? Nenhuma falha? Então parta pro ambiente de produção e faça a atualização.

Desde a mudança da versão 1.3 pra 1.4, onde houveram grandes mudanças estruturais, uma nova versão do Magento tem poucas  mudanças. São modificações pequenas, mas importantes, que melhoram (ainda mais) a segurança, introduzem facilidades e melhorias na operação. Eu recomendo sempre ter a loja atualizada, embora não seja realmente obrigatório. Só não deixe pular mais que uma versão pra atualizar, pois você pode começar a ter problemas na integração com serviços de terceiros que podem ter atualizado seus programas.

E você, tem alguma pergunta sobre Magento que eu possa responder? Coloca aqui embaixo nos comentários!

Comentários

comentário(s)

6 respostas

Os comentários estão fechados.