Magento 2 Project - imagem:magentocommerce.comNo Magento Imagine de 2011 – um ano atrás, portanto, e ao mesmo tempo que a eBay adquiria 100% da Magento Inc. – foi divulgado oficialmente que uma nova versão do Magento começaria a ser desenvolvida. Hoje, o que temos disponível é o Magento 1 (em sua versão 1.7 para a Community Edition e 1.11 para a Enterprise Edition) e a Magento 2 deverá trazer vários avanços em relação à versão atual.

Na metade do ano passado, mesmo com o anúncio do novo desenvolvimento, surgiram várias especulações sobre o futuro do Magento e sobre o novo X.Commerce. Uma coisa que tem que ficar clara é que o X.Commerce – a nova plataforma de e-commerce da eBay – não vai acabar com o Magento, seja a versão 1 ou a nova versão Magento 2. O Magento continuará existindo como produto independente, além de ser um dos motores do X.Commerce, que incluirá além da loja virtual, mecanismos como QR Codes, integração com redes sociais e métodos avançados de pagamento.

O lançamento das primeiras versões de teste está previsto para o segundo semestre de 2012, mas quem quer acompanhar o desenvolvimento tem acesso ao código-fonte do Magento 2 no GitHub. Vamos começar pelas características esperadas para o novo Magento 2:

1) qualidade do software, obtida através de padrões ainda melhores de codificação

A Magento Inc. já deve ter ouvido muita reclamação sobre o treinamento de profissionais para que eles sejam capazes de executar tarefas cotidianas de desenvolvimento. Tanto é que desde 2010 tem investido bastante em treinamento e capacitação. Agora quer fazer com que o próprio código seja melhor legível para que os programadores consigam entender melhor a arquitetura do software e o que acontece em cada parte dele.

Na mesma linha, para manter a qualidade, um sistema automático de testes já foi desenvolvido (e já está disponível na versão 1 do Magento). Isso permitirá que os códigos possam ser testados de maneira robotizada, verificando o que foi feito e se tudo funciona de acordo com o desejado. O Magento, como é de se esperar, continuará sendo baseado nas bibliotecas do Zend Framework e do próprio Magento 1.

2) Arquitetura

Como em todo refactoring, são esperadas mudanças na arquitetura do Magento. A mais aplaudida pelos desenvolvedores (se tomarmos como termômetro o vídeo de apresentação do Magento 2 no Innovate 2011, por Dimitry Soroka) é a troca das bibliotecas Prototype e Scriptaculous pelo jQquery. Outro ponto polêmico é o abandono gradual do esquema EAV – Entity Attribute Values – que faz com que o banco de dados possa ser escalado, porém à custa de uma sobrecarga de informações, colunas e tabelas.

Outra ideia que parece interessante é a introdução dos componentes. Pelo que eu pude compreender, os componentes seriam uma associação de módulos do Magento como por exemplo o Catalog é formado por Catalog, CatalogSearch, CatalogIndex e o Sales por Sales e Checkout. Isso tornaria possível o desligamento de partes do software caso você quisesse ter apenas um catálogo online, sem a opção de vendas pelo site, por exemplo. Já se sabe que essas mudanças farão com que os módulos escritos para o Magento 1 não funcionem no Magento 2, ou seja, tudo terá que ser revisado.

3) Temas

Além da mudança já citada, onde sai o Prototype e entra o jQuery, haverá uma mudança na hierarquia dos temas. Hoje só é possível ter um tema por vez em uma loja e um nível hierárquico abaixo dele. No novo Magento a ideia é que se possa fazer vários níveis, reduzindo o desperdício e a replicação de código. Na prática, isso não afetará pequenas lojas que utilizem apenas uma loja, com uma ou duas visões de loja, e um tema único. Uma função que já existe no Magento Go também deve ser incorporada à Community/Entrerprise: a habilidade de inserir, posicionar ou excluir blocos de template de maneira gráfica, no painel, com um simples arrastar e soltar, uma evolução do que se faz com os widgets hoje.

Organizando blocos no Magento Go - imagem:andregugliotti.com.br

Aliás, a estrutura de website/loja/visão de loja também estava em debate. Alguns acham que ela é complexa e que poderia ser mais simples, outros entendem que ela é necessária para possibilitar múltiplas combinações. Não encontrei nada que informasse sobre uma definição a respeito dessa questão.

4) API  e webservices

As melhorias já começaram a aparecer na versão 1.7, com o suporte para REST, mas para o Magento 2 espera-se uma API com mais funções além de suportar JSON-RPC.

Se quiser dar mais uma olhada, eu sugiro esse post no blog do Dimitri Gatowski. E você, já conhece o Magento 2? O que espera da nova versão do software de e-commerce mais popular da atualidade?

Comentários

comentário(s)

2 respostas

Os comentários estão fechados.