Meu último dia na ABRADi

Hoje, dia 01 de Julho de 2022, eu completo quase nove anos de dedicação à ABRADi, com muitos planos, estratégia desenhadas, reuniões com equipes e parceiros. A Associação, em minha gestão em São Paulo, bateu o recorde de associados, de eventos e entregas e, ao mesmo tempo, viveu a maior crise que temos notícia.

Se colocarmos no papel nossos objetivos, horas de trabalho e investimentos do bolso, o que sobra é a emoção e não a razão.

No dia 03 de Junho de 2022, resolvi me apegar a isso e gravei um vídeo, limpo, transparente e com nó na garganta. Meus diretores me apoiaram, mas me alertaram: “Você quer mesmo divulgar esse vídeo, expor sua imagem?”. Por mais inseguro que eu estivesse, uma coisa não me saia da cabeça: são os associados que fazem uma associação. O meu trabalho e o da minha equipe é representá-los e ajudá-los a serem mais eficientes e a crescerem com suas empresas.

Acreditar que o julgamento dos processos administrativos relacionado às eleições nacionais da ABRADi foi correto era simplesmente falhar no meu trabalho e no que eu acreditava. Falhar como ser humano, profissional e como Presidente. A intenção deste vídeo foi a de realmente despertar na gestão atual da Nacional e nos integrantes do Conselho Administrativo um olhar importante para o futuro da associação.

No dia 07 de Junho de 2022, tivemos a reunião que definiu o resultado das eleições. Infelizmente o que eu havia previsto no meu discurso do vídeo, aconteceu. Nunca imaginei que em uma Associação poderia haver tanta política, tanto apego e tanta falta de empatia.

Eu não sou um cara de trono, eu sou um cara de mesa redonda. Eu acredito em lutas por melhores ideias e pelo bem comum. Eu não consigo fazer parte de batalhas que se guiam por letras e vírgulas de estatutos, falhas e com brechas só para se fazer valer a decisão de minorias. Eu sou aquele líder que abre espaço para abordar o problema de maneira honesta com a garantia de que todos tenham espaço de dar a sua opinião, especialmente se forem discordantes da minha.

Tentei mais um pouco, esperei, usei mais alguns argumentos, mas não deu certo.

Por não concordar com a condução da gestão atual, acredito que o mais coerente é que eu me afaste. Não sou político, não vou ficar sendo uma oposição para dificultar a gestão de ninguém. Esta é uma atitude que não agrega nada para nosso mercado e para nosso associado. Sou empreendedor como todos que participam da Associação e o que eu quero é o melhor para nosso mercado. E é por isto que sempre lutarei.

E por conta de todo este relato, eu entendo que meu ciclo de 9 anos de ABRADi se encerra. Não tenho interesse de estar nesta Gestão e tão pouco me manter associado. Mas desejo sucesso a quem fica e um apelo para que realmente concentrem suas energias no que é o mais importante para uma associação: o associado.

Hoje, dia 01/07/2022, deixo a ABRADi com uma enorme dor no coração pois era algo que me dava propósito de vida e que eu amava fazer. Entrego o meu cargo de Presidente e me retiro como associado e agente colaborador da ABRADi.

Colocarei minha energia agora em um projeto que realmente acredito.

Grande abraço e muito obrigado a todos que estiveram junto comigo nesta jornada. Sem vocês, nada seria possível e nada faria sentido.

Rodrigo de Oliveira Neves

Comentários

comentário(s)