Desde sexta-feira de manhã que todos no mundo Magento estão desesperados: como era de se esperar, os Correios fizeram uma alteração no webservice que fornece os preços de frete e todas as lojas que utilizam o módulo disponibilizado pelo Pedro Teixeira ficaram sem cálculo de frete. Ficar sem cálculo de frete equivale praticamente a dizer que a loja fechou as portas.

Já há tempos que eu venho discutindo isso com outros profissionais. Em 2010, o webservice dos Correios experimentou uma mudança que, assim como agora, deixou muita gente em apuros. Naquela época, o Pedro Teixeira rapidamente modificou o código e soltou uma nova versão. Dessa vez, isso não aconteceu (e não é culpa dele!). Como contornar essa situação desagradável? O que pode ser feito para que isso não aconteça novamente?

módulo dos Correios no Magento - imagem: Life Size/Getty ImagesNo sábado, eu dei uma palestra sobre Magento em Santa Maria, e comentei com o público sobre esse problema, já que o evento era sobre comunidade e software livre. Quem ouviu talvez tenha entendido que eu estava recriminando o Pedro Teixeira, mas não era essa a intenção. Garanto! Lá em 2008, ele desenvolveu o módulo por conta própria e disponibilizou pra comunidade, de graça.

O grande problema é que a maior parte dos módulos disponíveis para Magento foram feitos para atender uma necessidade pontual ou nas horas vagas de um desenvolvedor. Depois de um tempo, eles acabam perdendo o interesse em sua criação (ou são contratados por grandes empresas) e deixam de atualizá-lo. O módulo fica perdido, sem alguém que se sinta responsável por ele e os problemas aparecem na pior hora.

Esse tipo de modelo não é aceitável em lojas virtuais, pois uma parada de uma hora pode ocasionar sérios prejuízos. Mas é o modelo que está em vigor e assim como o módulo dos Correios, já houve casos de módulos patrocinados por meios de pagamento que simplesmente eram atualizados apenas a cada dois anos. No meio do caminho, o lojista que buscasse sua própria solução.

Depois que o módulo dos correios deixou de ser atualizado (a última versão foi feita na época da Community Edition 1.5), nenhum outro desenvolvedor assumiu o projeto e nenhuma empresa dispôs-se a oferecer um serviço de suporte para esses casos (o módulo é opensource, ele pode ser utilizado e modificado). Quando ocorre uma situação como a de sexta-feira, milhares de lojistas ficam reféns de um serviço que deixou de funcionar e que não tem suporte. A saída foi encontrada por alguns programadores que decidiram investigar o que estava acontecendo (apesar do péssimo suporte prestado pela empresa pública) e postar uma correção provisória. Na manhã dessa segunda, o webservice dos Correios voltou a funcionar. Mas até quando?

Nesse modelo, eu não vejo saída. A única forma de contornar essa dificuldade é passar a ter módulos pagos, de qualidade, desenvolvidos e atualizados com frequência. Quando eu digo atualizados, significa não ficar esperando as coisas caírem pra introduzir melhorias e antecipar correções. O mercado de Magento no Brasil pede isso e não vejo outra saída se a plataforma realmente quiser continuar seguindo sua trajetória de sucesso. E você, como vê a questão dos módulos gratuitos? Deixe sua opinião aqui nos comentários.

Comentários

comentário(s)

7 respostas
  1. Leandro Marques
    Leandro Marques says:

    André,

    vejo que este é um problema com muitas frentes a serem 'atacadas'. Primeiro de tudo, falta mão de obra que saiba programar nas linguagens que o Magento utiliza (conhecimentos profundos em PHP, Zend, HTML, CSS, MySQL, etc). Quando tem, o mercado quer pagar pouco e exigir muito.

    Segundo, acredito que falta uma maior mobilização para a promoção da plataforma Magento no país. Mobilização em universidades, cursos técnicos, fóruns, blogs sobre e-commerce e congressos empresariais. Essa mobilização seria fundamental para o crescimento das empresas que provém soluções e módulos para Magento, uma vez que mais empresas despertariam interesse pela plataforma.

    Terceiro, comodismo. Muitos, assim como eu, que resolveram ingressar nesse mundo chamado Magento, simplesmente buscaram módulos já prontos, como esse excelente módulo do Pedro Teixeira, integraram à loja e ponto final. São pouquíssimos os que entendem e dominam programação a ponto de sugerir/efetuar melhorias. A preguiça de aprender a programar fala mais alto, isso sem falar que nem todo lugar dispõe de cursos de qualidade para aprender PHP, por exemplo.

    • Eric De Souza Cavalcanti
      Eric De Souza Cavalcanti says:

      Leandro Marques, mas o pior mesmo eh o servico prestado pelos Correios.
      Eu solicitei o BD para criar meu proprio WS, perguntei quando era pq eu queria comprar. A resposta eh de que tem o WS deles gratuito. Eles devem estar de brincadeira.

  2. Eric De Souza Cavalcanti
    Eric De Souza Cavalcanti says:

    Mas esses problemas parece que so ocorrem ai no Brasil.
    Ninguem quer melhorar o modulo, mas se bem que ele funcionava bem, e os Correios sao uma porcaria. hehehe
    Uso USPS na minha loja aqui nos EUA e nunca caiu e nunca tive problemas com eles. E vem o modulo ja com o Magento, UPS, USPS e Fedex. Mas eh isso que falta, ter concorrencia.
    Quando todo mundo passar a usar transportadoras e os Correios passarem a nao lucrar mais, ai muda.

  3. Rui Robson
    Rui Robson says:

    Olá André Gugliotti,

    Indica algum profissional que possa instalar e deixar tudo configurado para mim o módulo WebShopApps MatrixRate? Não tenho tempo para instalar (até porque não tenho conhecimento no magento) e se tiver alguém me indicar eu agradeceria imensamente, ficando para mim apenas as atualizações do arquivo CSV que acontecerá apenas uma vez a cada ano ou duas.

    Rodei a internet desde sexta de manhã e nada de profissional que realize este servido.

    Agradeço o espacço e quem sabe uma indicação.

    Rui Robson

  4. Marcio Maciel
    Marcio Maciel says:

    Oi André, tudo bem?

    Acredito que não foi nenhum problema relacionado ao módulo do Pedro Teixeira, já que eu tentei fazer uma consulta diretamente ao Webservice usando o link que existe no manual de integração dos Correios e estava apresentando o mesmo erro 'Problema ao calcular o prazo de entrega'. Também vi estes erros em outras plataformas que fazem a comunicação direta com o webservice. O que percebi é que a consulta com contrato estava funcionando normalmente.

    Eu utilizava a muito tempo uma base 'off-line' dos correios, onde eu consumia uma boa parte de faixas de CEP e montava uma tabela local no meu servidor. Utilizei esta alternativa por muito tempo, mas aí nossos queridos profissionais de TI dos Correios começaram a bloquear o meu endereço IP, alegando abuso no uso da ferramenta. O engraçado disso tudo, é que meu webservice era configurado para capturar no MÁXIMO 5 cálculos de frete por minuto, o que eu acho relativamente pequeno já que tenho lojas hospedadas comigo que facilmente utilizam o dobro disso.

    Bom, como já dou manutenção em várias lojas Magento a mais de 3 anos, só tenho uma coisa a dizer: Utilize a MatrixRate e tenha sempre uma transportadora de 'backup'.

Os comentários estão fechados.